Temer na cadeia Aécio na cadeia

Temer na cadeia Aécio na cadeia
Copiem e colem em seus perfis

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

FELIZ SOLSTÍCIO DE INVERNO


FELIZ SOLSTÍCIO INVERNO
(Natali Solis Invictu)

Câmara Municipal de Pacoti está de parabéns pelas homenagens aos seus cidadãos ilustres, pela ampliação, o cuidado que tomará com o seu arquivo e por manter o jornalzinho informativo que já existia.

Mas, sendo eu o 1º homem HISTORIADOR de Pacoti e Idealizador e Criador do 1º Arquivo Público do Interior do Nordeste; o Arquivo Municipal José Audísio de Sousa,  tenho que desfazer o pequeno equívoco impresso no jornalzinho da Câmara de Pacoti. 

Nós não temos mais Arquivo Público em Pacoti, por que fora fechado em 2010. Eu mesmo noticiei isto, mas, é uma boa deixa para que os vereadores o reabram, uma vez que este arquivo fez Pacoti ganhar repercussão nacional por ser um feito reconhecido em Brasília e por ainda servir de inspiração para que outras cidades do Interior do Nordeste tenham criado seus próprios Arquivos Públicos e para que o próprio Governo do Estado do Ceará tenha prometido abrir 20 Arquivos Públicos pelo interior, com um sistema de Arquivos Públicos ainda por vir.

Pois bem, que o Arquivo Público de Pacoti seja restaurado. Esse é o pedido de Natal e Ano Novo desse HISTORIADOR de Pacoti, filho da outra única e primeira HISTORIADORA de Pacoti, a qual foi homenageada ontem por ser a primeira Mulher Escritora de Pacoti; Rosimar Brito, que, por sinal, também me ajudou a elaborar o projeto de lei que defendi na Câmara Municipal de Pacoti, que fora aprovado por todos os vereadores na época.

Um bom Natal e um próspero Ano Novo. Um feliz solstício de Inverno!

Aproveito aqui também o ensejo para parabenizar a Prefeitura por trazer cantor de tão grande voz da Orquestra Filarmônica do Ceará juntamente com a Orquestra Filarmônica de Crianças do Ceará situada em Redenção através de uma associação cultural que ensina 45 crianças. Parabéns também ao Município de Redenção pelo belo trabalho.

Como diria o ilustre Arthur da Távola: "Música é vida interior. E quem tem vida interior, jamais padecerá de solidão.

AROLDO FILHO
(Amadeu Nuvem/Ateu Poeta)
O HISTORIADOR DE PACOTI
HISTORIADOR, Poeta, Blogueiro, Professor e Jornalista Independente
Presidente e Criador do Jornal Delfos-CE
Criador do 1º Arquivo Público do Interior do Nordeste

Pacoti-Ceará-21/12/2012

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

O MACIÇO DE BATURITÉ PRECISA DE MAIOR POLICIAMENTO URGENTE



http://colunadiamante.blogspot.com.br/2012/11/o-macico-de-baturite-precisa-de-maior.html

O MACIÇO DE BATURITÉ PRECISA DE MAIOR POLICIAMENTO URGENTE

O maciço de Baturité precisa urgentemente de reforço policial por que do modo que vem ocorrendo tantos assaltos, a tendência é a situação piorar.Quanto mais o bandido encontrar facilidade de assaltar e fugir ileso mais a bandidagem vai continuar aumentando.

Parece que os nossos governantes estão mortos; por que não tomam nenhuma atitude!
Até quando essa situação absurda vai continuar?  Assassinato, assalto, roubo de moto, incêndios de carro e florestais, até quando os governantes vão ficar sem fazer nada?

A violência vai virando banal. Como numa marchinha de carnaval, todo mundo dança e finge que tudo vai às mil maravilhas. Precisamos de maior reforço policial se quisermos que o caos não aumente.

Mais policiamento agora! Não podemos deixar que a bandidagem tome conta da nossa terra!

AROLDO FILHO
O HISTORIADOR DE PACOTI
21/11/2012

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

FUNK

FUNK

O que é importante não é charme nem funk
Ou dançar bonito
Mas prender o traficante
Segurança e saúde da favela ao asfalto

É preciso ficha limpa
Da câmara ao planalto
Política não acontece a cada quatro anos
Mas o tempo todo

Por debaixo dos panos
É preciso cortar a reeleição
Dependência partidária e voto de legenda
Fazer a diferença é muito relevante

Tire a venda e seja a revolução
O Brasil não está à venda, lute por educação

ATEU POETA
HISTORIADOR
08/12/2012

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

VOTE CONSCIENTE




Votar é um grande ato de cidadania. Não é um favor ao candidato, mas a si mesmo, pois é a escolha de seus líderes políticos. Quem vota exerce o direito de tentar melhorar a sua sociedade. Não abdique desse direito. 

Escolher os melhores é fazer o melhor para o seu município. 

Vote com responsabilidade. 

Veja se o candidato tem formação.

Informe-se sobre as propostas e analise se são viáveis de fato.  

Exerça bem o seu papel de cidadão.

AROLDO FILHO
04/10/2012

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

CRIPTA




CRIPTA

É a literatura que poetiza a vida
O mundo fica mais surreal do que deveria
Na fantasia sobrepujamos as dores
Sendo autores de nossa própria estrutura

Nada faz sonhar tanto
Canto que nos faz viajar
Em mil mares a pena se consagra
Herói de mil sagas

Arsene e Odisseu
Sigurd e Orfeu
Chorando a morte de Eurídice
Ou dominando o templo de Zeus

A tudo no transubstancia a letra bem escrita
Livro é leve cripta de evolução mental

AROLDO FILHO

domingo, 16 de setembro de 2012

EMPREENDEDORISMO EM PACOTI


Sou filho de dois grandes exemplos, de educação e empreendedorismo:

Rosimar Brito: 1ª historiadora profissional de Pacoti. Criadora do festival de quadrilhas de Pacoti. Foi vice diretora na escola Menezes Pimentel. Foi diretora de cultura. Criadora do Arquivo Municipal de Pacoti José Audísio de Sousa, da Associação Cultural SEMPRE e da Exposição Histórica Pacoti: Uma História em documentos. Ganhou medalha de Mérito Legislativo em 2004.
 
E Aroldo: caminhoneiro que viajou por vários Estados, carregando chuchu, pedra, areia, etc, e que criou a empresa que mais gera empregos em Pacoti: Água Prisma da Serra.

 
Em 2011 reassentei 300 famílias no programa da refinaria do Pecém, junto com meus irmãos, Chistian e Aroldo Dárney, por meio do Instituto IDACE, ao qual prestamos consultoria através do Instituto DESENVOLVER.
 
Posso trazer para Pacoti projetos de agricultura familiar e cursos de capacitação para que os jovens ingressem de forma mais eficaz no mercado de trabalho. O que precisamos é de empreendedorismo que tire nosso Pacoti do ostracismo.
 
Tenho projeto de um festival literário escrito por mim. Pretendo melhorar a segurança pública de Pacoti, conseguindo um delegado e pelo menos mais uma ou duas viaturas policiais, conseguir maior policiamento para Pacoti; reabrir o Arquivo Público de Pacoti; implantar artes marciais como um opcional à Educação Física dentro das escolas municipais e fazer cumprir-se a lei que manda execução de uma aula de Histórica Local por semana no ensino médio.
 
É importante também que seja feito um melhor saneamento básico no nosso município e consertar as estradas de muitos locais.
 
Mas, a maior carência de Pacoti se chama trabalho e renda para que a nossa juventude não tenho que ser obrigada a ir para outros municípios em busca de trabalho. E para tanto posso trazer cursos de capacitação e projetos que abram o mercado de Pacoti.
 
É preciso que se elejam pessoas empreendedoras com a verdadeira coragem para mudar Pacoti para melhor! Por isso, dia 7 de outubro vote 13 777, pois eu, Aroldo Filho, historiador de Pacoti tenho honestidade e compromisso de fato para Pacoti.
 
Vote consciente! 13 777. Por que tenho como a visão empreendedora que Pacoti precisa e venho mostrando trabalho na área da cultura ainda como cidadão comum. Que o povo escolha com sabedoria.
 
Se você deseja um Pacoti realmente mais desenvolvido vote 13 777, Aroldo Filho para vereador.
Aroldo Filho
16/09/2012

terça-feira, 11 de setembro de 2012

UM POUCO DA TRAGETÓRIA DO HISTORIADOR AROLDO FILHO


UM POUCO DA TRAGETÓRIA DO HISTORIADOR AROLDO FILHO
 
Fiz parte da APAIP-Associação de Poetas e Artistas Independentes de Pacoti, ainda no ensino médio, 2002 a 2004, quando também despertei para a importância de um arquivo público e de um museu em Pacoti. Quando fiz parte também do jornal VISART, na escola Menezes Pimentel.
 
Comecei a executar o Projeto Semente, no 3° ano, quando fui líder de sala, em 2004, reunindo todos os líderes de sala da escola Menezes Pimentel. O primeiro projeto que escrevi para que se unisse escola e sociedade numa ação sociocultural para melhor contar a história de Pacoti, servindo de apoio ao projeto do livro didático de Pacoti de Rosimar Brito.
 
Tentei criar um grupo jovem de poetas chamado AJAS- Aliança dos Jovens Artistas, de 2004 a 2007. Título do meu primeiro blog em 2007, quando cursava faculdade de Administração na Faculdade Evolutivo em Fortaleza (2006-2007).
 
Em 2007 crie, junto com Cristiano Viana Silveira, o Jornal Delfos; que hoje é visto em 55 países, com 93 seguidores e unindo pessoas de vários Estados do Brasil. Realizei diversas entrevistas, também com pessoas de vários Estados. Destaco a entrevista com o jornalista Fábio Oliva , que é premiado nacionalmente por bravura e faz parte da ABRAJI- Associação Brasileira de Jornalistas Investigativos, do jornal "Folha do Norte". Blog: http://jornaldelfos.blogspot.com
 
Sendo o Jornal Delfos, portanto, o jornal pacotiense de maior repercussão mundial; existindo em forma de site, blog e impressão. Também é o 1° jornal universitário de Pacoti. O blog passa atualmente de 140 mil acessos.
 
Em 2008, 2009 e 2010, lecionei nas escolas Menezes Pimentel e São Luís e crie, junto com Franciso Leví Jucá e com a Historiadora Rosimar Brito , a Associação Cultural SEMPRE, o Arquivo Público José Audísio de Sousa e a exposição histórica Pacoty: uma História em documentos.
 
O arquivo é o 1° no interior do Nordeste, logo, tem uma grande importância na história regional. A associação e a exposição foram acolhidas pela UECE por meio da Prof. Dr. Lúcia Helena Granjeiro, sendo, portanto, de importância histórica local também por estarem dentro de um campus experimental da Faculdade Estadual do Ceará em Pacoti.
 
Essas ações foram realizadas desde o meu primeiro dia de faculdade de História, e por causa de todas essas ações juntas é que hoje sou o 2° historiador pacotiense, e muito me orgulha que a 1ª historiadora pacotiense seja minha mãe, Rosimar Brito; que ganhou medalha de mérito legislativo em 2004.
 
Em 2011 trabalhei como pesquisador no IDACE- Instituto do Desenvolvimento Agrário do Ceará, no Porto do Pecém.
 
Atualmente faço parte do Instituto Desenvolver.

Aroldo Filho
HISTORIADOR, Professor, Poeta, jornalista independente e blogueiro.
11/09/2012

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

122 ANOS DE PACOTI


“Não existem duas datas, gente! Possuo inúmeros documentos que comprovam este FATO! Pacoti não foi um município fundado! São exemplos de cidades fundadas: Salvador, Brasília, Nova Jaguaribara...
Pacoti surgiu do desenvolvimento do distrito de paz e policial de Pendência e emancipado em 02 de setembro de 1890, independentemente das duas supressões ocorridas (1900 e 1931) uma Lei Municipal do ano de 1949, da autoria do vereador Álvaro Sampaio tornou o 2 de setembro um feriado municipal, baseado no Decreto Estadual n° 56 de 02.09.1890 que criou a Vila de Pacoty.
Naquela época Vila era sinônimo de Município, já possuía prefeito e vereadores. Assim é em Fortaleza que já conta 284 anos desde a Vila de N. S. da Assunção de Fortaleza. O mais grave é que a até a década de 1980 se contava corretamente, na época do prefeito Valdeci Nunes. Mas por interpretações erradas das leis administrativas "engoliram" quase 50 anos de nossa história!
Desse jeito, até o Instituto Maria Imaculada (de 80 anos) é mais antigo que Pacoti!”
(por Levi Jucá, no Facebook)

Provamos isso na exposição histórica Pacoty, uma História em documentos, vista por mais de mil pessoas. exposta por 1 mês na antiga Galeria Raimundo Siebra E re-exposta por mais de um ano no CAMPUS EXPERIMENTAL DA UECE EM PACOTI, que acolheu também a nossa associação SEMPRE por meio da prof. Dr. Lúcia Helena Granjeiro (pró-reitora estadual dos campi de extensão da UECE)
Um projeto de 10 mil reais que passou no edital do BANCO DO NORDESTE.
Tenho um texto do seu Raimundo Leite Esmeraldo que comprova a real idade do nosso município, no jornal "Folha de Pacoti" e o mesmo texto no jornal "O povo".
Verdade comprovado pelos HISTORIADORES DE PACOTI Aroldo Filho e Rosimar Brito e pelo professor Francisco Levi Jucá Sales ( Levi Jucá).
Os 3 são criadores da lei que criou o Arquivo Municipal José Audísio de Sousa- o 1° ARQUIVO PÚBLICO DO INTERIOR DO NORDESTE-, da Associação Cultural SEMPRE- Segmento dos Estudiosos da Memória e Patrimônio Regional da Serra de Baturité-, e da exposição histórica Pacoti: Uma História em documentos.

Aroldo Filho é também criador do JORNAL DELFOS-CE, que é visto em 54 países, com mais de 140 mil visitas; e é sócio do INSTITUTO DESENVOLVER, através do qual assessorou o INSTITUTO IDACE- Instituto do Desenvolvimento Agrário do Ceará-, trabalhando como HISTORIADOR PESQUISADOR no Porto do Pecém.
Aroldo Filho
10/09/2012

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

ARTES MARCIAIS EM SALA DE AULA


ARTES MARCIAIS EM SALA DE AULA 

No momento em que adotarmos as ARTES MARCIAIS como cultura a violência diminuirá em todos os campos sociais. Para tanto é necessário implantá-las como exporte recreativo dentro de cada escola municipal. E num futuro próximo teremos jovens bem mais seguros, sociáveis e saudáveis.

Será uma ação de resultado a médio e longo prazo na jornada por uma sociedade mais estruturada. Por que o importante é não somente melhorar a SEGURANÇA PÚBLICA do nosso município, com maior número de policiais, um delegado e mais viaturas, como também ensinar aos nossos cidadãos a se defender; o que servirá como uma medida complementar no caminho por uma sociedade muito mais segura.

AROLDO FILHO
HISTORIADOR, Literato, Professor, Blogueiro e Jornalista Independente.
Pacoti-Ceará, 07/09/2012

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

É PRECISO CORAGEM PARA MUDAR




A maioria não tem a MENOR MATURIDADE para a 

POLÍTICA

e vai copiando aquilo que repercute, pelo puro vício de copiar. A cara de pau de certas pessoas me deixa com NOJO! 

Ainda vêm dizer que "alguns não têm maturidade pra usar redes sociais", isso é lá coisa que se diga!

As redes sociais são públicas, é um direito de TODOS usar.

Agora POLÍTICA é coisa pra gente com HONESTIDADE E COMPROMISSO! 

Chega de JOGO SUJO! Chega de POLITICAGEM! É hora de um basta!

Quem tem competência para fazer CRIA, quem não tem COPIA

Quanto parasita por aí só sabe sugar.

É preciso CORAGEM PARA MUDAR.

AROLDO FILHO
HISTORIADOR, JORNALISTA INDEPENDE, PROFESSOR
Criador do 1° Arquivo Público do Interior do Nordeste

Número para vereador: 13 777
Pacoti-Ceará

ELES ME COPIAM POR QUE A MINHA ESTRELA BRILHA MAIS



O JOGO SUJO CONTINUA. E se eles não podem bater de frente com a gente, simplesmente continuam copiando tudo, querendo se passar por mim a qualquer custo. Ainda têm a cara de pau de dizer que eu e quem copiou. Pode?

Óleo de peroba já!

Imitam meus discursos, querem se passar por mim, e até minha música de campanha. Claro, por que ela fez grande sucesso. É tanto jogo sujo que dá nos nervos. Mas imaginem comigo, se esse povo não tem criatividade nem pra fazer a própria campanha, imagina eles eleitos. Será que têm competência suficiente para encarar um cargo publico? Será que têm HONESTIDADE E COMPROMISSO?

Caros eleitores, fiquem de olhos bem abertos.


AROLDO FILHO
24/08/2012

terça-feira, 14 de agosto de 2012

CAPITÃO


CAPITÃO

O que faz um capitão não é o chapéu
Um grande convés
O mundo aos seus pés
Cartel ou canhão

A espada que traz
Tropa em saga sagaz
 Sua superstição
O nó da gravata

Famosa bravata
Navio pirata
Céu e prisão
Ação de cantar

Amar ao mar
Mas o seu coração

AROLDO FILHO
14/08/2012


segunda-feira, 13 de agosto de 2012

O PAPEL DO HISTORIADOR



O PAPEL DO HISTORIADOR

A História começou literária, e como toda a boa literatura do entretenimento, está repleta de ilusões arbitrárias e falsificou sempre os homens em incríveis heróis; fazendo dos perdedores os malfeitores mais cruéis.
               
Os vencedores foram por demais endeusados e ainda o são pela nossa falsária História Oficial que se tornou mais científica e nem por isso menos cheia de erros grotescos que os grandes homens forjaram por um intuito político a que ela se deu.
               
O Positivismo de Augusto Comte por um lado ajudou as ciências a se focarem mas fomentou nelas a ilusão de um status de uma senhora dona da verdade em vez de seu devido lugar de aproximações, por que a real cientificidade se aproxima do que de fato ocorreu por que jamais será possível recriar o que já passou; no máximo se reproduz algo para o melhor entendimento por meio de padrões exigentes, fazendo as devidas comparações a que cabe o pensamento empírico.
               
A École dos Annales de Lucien Febvre, Marc Bloch e outros, deu um grande passo ao sugerir uma História feita ano a ano, por que, assim, diminuiria mais os anacronismos e a arbitrariedade documental agora poderia ser confrontada, tendo como documental obras não oficiais; como crônicas de época, fotos, poesias e outros elementos que deveriam ser confrontados entre si, formando um aparato para que o historiador possa tirar conclusões desses documentos analisados em conjunto, usando para complemento também a história oral.

O documento então deixou de ser portador da verdade depois dessa revolução documental e agora o historiador profissional dá o devido juízo de valor com critérios rígidos a se intercalar também com diversas ciências afins; como arqueologia, numismática, psicologia e mesmo de áreas nem sempre tão afins diretamente como mais importantes para o entendimento do processo.
               
O historiador, então, se firma na economia, biologia, neurociência e administração; por vezes também estuda filologia e outras línguas para fazer genealogia, e a cada área a qual ele vier a se focar precisará de ajuda de profissionais das mais diversas áreas para também validarem o que ele descobrir. Por que agora é uma questão de descoberta em conjunto.
               
Foi-se o tempo em que a História era uma ciência parada, hoje é dinâmica. As verdades de ontem não servem para hoje e nem as de hoje serão as de amanhã, no entanto, isso só é possível com trabalho sério, árduo e interação com a sociedade e uso de novos mecanismos tecnológicos como a internet e mesmo o uso sistematizado de documentários, filmes e livros como romances época, que podem por vezes também ajudar em um trabalho didático pegando em vista o professor de História que também precisa de novos recursos para a abordagem de melhor absorção por parte dos estudantes.
               
O historiador é um guia para o caminho do mais provável que ilumina esse vasto caminho de escuridão para a História, não é a única luz mas faz com ela uma ponte a fim de uma iluminação bem melhor. É fato que sempre existirá uma enorme diferença entre a ciência em si de laboratório e a de sala de aula. No caso da História, por ser uma ciência humana, não há para ela precisamente um laboratório em si e também não deve jamais caminhar isolada.

Uma diferença clara entre historiador e professor de História é que aquele busca conhecimentos de outras áreas ; tais como literatura, psicologia, numismática, heráldica, arqueologia, física, química, dança, astronomia, ciência da religião, neurociência, antropologia, etc., além do próprio afinco em descobrir algo novo e construir novas visões, cria formas de abordagens e desmente fatos antigos depois de devidamente estudado.
               
O professor de História não tem obrigação de descobrir algo novo mais de repassar o que já está oficializado pelos historiadores. Não tem uma obrigação de fazer trabalhos fora de sala que mudem a sociedade ou o mundo ao seu redor. Se caso consiga ser ambas as coisas terá o profissional uma responsabilidade dobrada por que além da didática há agora todas as exigências a suprir apesar de ser um grande feito.
               
Mas um papel em comum tanto do professor quanto do historiador é fazer o interlocutor se entender como sujeito ativo da História a qual estuda, repassar a noção de que a História é registrada por determinados homens com determinadas visões políticas formadas no contexto de cada época e localidade específica, sabendo que a cultura do historiador terá sempre peso na sua visão final, por que todo homem é um ser multifocal e o historiador é também, filho, pai, cidadão e, por muitas vezes, tem mais de um emprego e uma visão política pessoal que não será obrigatoriamente de engajamento; embora devesse mais do que ninguém ser engajado, pelo tanto de conhecimento ao qual alcança e produz.
               
Que as próximas gerações enxerguem a História como sua. Saibam que todos passam por ela enquanto ciência, e que toda ciência é falha, pois vive de aproximações, mas nós, historiadores, tentaremos sempre uma maior aproximação do real e é fato que a História muito se modifica por descobertas de várias ciências, principalmente por meio colateral; e ela, por sua vez, muda o mundo de modo direto através, principalmente, do trabalho dos historiadores engajados que tem como função explicar a História e “escolher um lado” como diria o historiador Bóris Fausto.

AROLDO FILHO
Historiador, professor, poeta e jornalista independente.
23/03/2012
22:40

ONDA VERMELHA EM PACOTI




                                                   A onda VERMELHA Invadiu Pacoti
Agora é PT, Marcos e Suely
A NOSSA ESTRELA BRILHA FORTE
Por um Pacoti MELHOR
Vote FICHA LIMPA
Não brinque com a sorte
Vote no MAIOR
13 para 2013
13 777
AROLDO FILHO para vereador
Com CORAGEM PARA MUDAR se vai ao longe
Em defesa da SEGURANÇA PÚBLICA
Para resguardar nosso PATRIMÔNIO HISTÓRICO
Vote 13 777

VOTE EM CANDIDATOS DO PT
Vote no HISTORIADOR
Quem está com o 13, VOTA NO DOUTOR
QUEM VOTA NO DOUTOR, VOTA NO HISTORIADOR

Dr. MARCOS para PREFEITO, HISTORIADOR AROLDO FILHO para VEREADOR
Rumo a 2013 no MOMENTO HISTÓRICO em que o PT chega com toda força em Pacoti
É 13 777

AROLDO FILHO é HISTORIADOR, PROFESSOR, POETA e JORNALISTA INDEPENDENTE.
Criador da Associação Cultural SEMPRE, do Arquivo Público de Pacoti, do Jornal Delfos-CE e da exposição Pacoty, uma História em documentos.
É sócio do Instituto Desenvolver.
Pratica CAPOEIRA, CARATÊ, DEFESA-PESSOAL E CRAV-MAGÁ.