Temer na cadeia Aécio na cadeia

Temer na cadeia Aécio na cadeia
Copiem e colem em seus perfis

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

LÁGRIMAS DE SANGUE

LÁGRIMAS DE SANGUE

O país já chora
Lágrimas de sangue
Nesse descabido bang-bang
A estudante perde o olho

Tal qual professor
Em batalha contra Richa
Todo desgoverno faz rixa
Contra a educação

Educar para quê
Se a esquerda é contramão?
Até ficar todo mundo caolho
A justiça vai fechando os olhos

Ante as rapinas da ambição
Vai virando tradição
Toda esta bestialidade
O meu peito se invade

De uma tremenda compaixão
Com a doce canção
Da revolução que se assanha
Com a façanha de Guardião

Não sei mais se a cautela
Ou o que se aquartela
É bom ou não
Se importa a seleção

Ou a Portela
Se impera o golpe
A galope
E tão febril

No seio de um Brasil
Não mais gigante
Diante dessa onda
De injustiça

Onde só a cobiça soa
E tem vez
Há xadrez
E camburão

Para os não-calados
Favelados
Subversivisados
E ousados

São vocês?
Para quem não se conforma
Nem deforma
Não se vende

Para os calejados
Apedrejados pelo sistema
Quem não teme seguir o tema
E não treme para Temer

Desarmados
Soldados?
Amados
Entoando a canção ao vento

O lenço e o documento
Onde estão?
Contra o tempo
Nada nas mãos

A censura já começou
E aos poucos mostra suas garras
Os direitos, quem tirou?
Iremos perder muito mais

Aqui jaz a tão curta democracia
Foi-se pela hipocrisia
Que se instala em seu lugar
E entala

Estala
Tudo o que não deveria
Estar lá
Voltará a monarquia?

Os ratos do poder
Logo aprenderam a ladrar
E ser gatunos
Sabem bem prosperar

O povo tem poder
Mas não sabe
É o mesmo
Que não ter

Aroldo Historiador
02/09/2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário