domingo, 12 de maio de 2019

COMENDA LITERÁRIA JOSÉ AUGUSTO DE OLIVEIRA (PROJETO DE INDICAÇÃO)

COMENDA LITERÁRIA JOSÉ AUGUSTO DE OLIVEIRA (PROJETO DE INDICAÇÃO)

(Texto criado a pedido de vereadores para que a comenda seja criada  em Pacoti-CE)



Comenda Literária José Augusto de Oliveira foi criada com o intuito de corrigir ano de injustiças históricas: o esquecimento à maior figura literária de Pacoti que se tem notícia e o não reconhecimento à outras figuras literárias de Pacoti, que apesar de terem publicado livros não recebem nenhum incentivo local, nem mesmo para vender suas obras.

Viver de arte é uma tarefa muito árdua no Brasil, principalmente se esta arte for a literária, uma vez que o brasileiro em média lê muito pouco e grande parte da população tem bibliofobia, ou seja; medo de livros, uma coisa que não se justifica na Idade Contemporânea. 

Mais importante do que citarmos aqui a exatidão de datas e listarmos cada feito da forma mais comum e cansativa possível é frisar nos feitos mais cruciais, como por exemplo o fato de José Augusto de Oliveira ter sido combatente da 2ª Guerra Mundial; ter escrito em vários gêneros literários, desde a poesia ao gênero infantil; ter feito parte de 8 academias de letras, sendo vice-presidente de uma academia internacional e saber que uma dessas academias é uma segunda Academia Cearense de Letras, embora que situada no Rio de Janeiro; e, acima de tudo, no que tange às belas-artes, José Augusto foi considerado O Príncipe dos Escritores Brasileiros.

Apesar destes e outros feitos, havia em José Augusto de Oliveira um sentimento de tristeza por não ser reconhecido em seu torrão natal, que na época tinha ainda a alcunha de "Vila" e um "y" no nome.

Apenas a Professora Rosimar Brito, que mais tarde também publicou um livro, fez menção constante a este homem por algumas décadas, inclusive em sala de aula, levando-o para dar palestra para seu alunos; no que foi seguida por um de seus filhos mais tarde, que por acaso também tem uma veia artística. 

E se algo agora consta de José Augusto de Oliveira em livro de cunho memorialista sobre Pacoti é graças ao trabalho histórico da Professora Rosimar Brito, e, por este motivo, ela será a primeira a receber a Comenda Literária José Augusto de Oliveira.

Rosimar Brito é autora do livro "Ditames do coração" e recebeu comenda desta casa por ser a primeira mulher a ser escritora de Pacoti. Além disso, Rosimar Brito é criadora do Projeto de Lei que deu origem ao Arquivo José Audísio de Sousa ; também criou o Festival de Quadrilhas de Pacoti; a Gincana Cultural Coruja Solidária, que ainda hoje é lembrado como o maior evento cultural de Pacoti; e foi a primeira pessoa filha de Pacoti a ser Diretora de Cultura deste município.

A segunda figura a receber esta comenda é Maria Antonieta Esmeraldo que de certo modo continua seguindo o intuito científico do pai, Raimundo Leite Esmeraldo, que ainda hoje não deixou de ser uma das figuras carimbadas de Pacoti. Além de ser farmacêutico, Raimundo Leite Esmeraldo deixou um texto histórico no Jornal "O Pacoty", de 1979, o que serviu de base principal para o restauro da real data de emancipação deste município. Antonieta é autora do livro "Educação Biocêntrica do Ceará: Um Estado de Arte".

Aroldo Historiador


Escritor marinheiro #JoséAugustoDeOliveira (im memoriam).


Além de ser combatente da 2ª GM e participar de #8_Academias_de_Letras, dentre elas uma internacional, e escrever em diversos gêneros, José Augusto foi vencedor de concursos literários, tanto em Pacoti-Ceará quanto de #concursos_internacionais, motivo pelo qual foi considerado #PríncipeDaPoesiaBrasileira e #PríncipeDosEscritoresBrasileiros

Tinha pelo menos 7 livros, 6 publicados e um em CD. Nunca vendeu nenhuma obra, ele presenteava os amigos e fazia parte do grupo de Escritores Suboficiais da Marinha do Rio de Janeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário