quinta-feira, 23 de maio de 2019

JOSÉ AUGUSTO DE OLIVEIRA: O PRÍNCIPE DOS ESCRITORES BRASILEIROS 3

JOSÉ AUGUSTO DE OLIVEIRA: O PRÍNCIPE DOS ESCRITORES BRASILEIROS 3

Continuando: 

Hinos 






CANÇÃO DO VELEIRO “CISNE BRANCO”

C a n ç ã o

Música: do Maestro Ronaldo Esteves Cammarota

                                         Letra: de José Augusto de Oliveira

                                “Cisne Branco” o veleiro,
                                Mensageiro da Canção
                                No Brasil e no estrangeiro
                                Se exalta a sua guarnição..
                               
                                Estribilho:
                               
                                Entre as velas desfraldas...
                                Tremula altivo o Pavilhão
                                Em todas as suas jornadas
                                Foi cumprida a sua missão.
                                Singrando os mares buscando a paz
                                A perfeição é resultante do labor
                                E nas tormentas ser mais audaz!...
                                Fé e coragem o afastem do temor.
                               
                               No .universo de outros astros

 Brilha a nossa constelação

 Deixando luminosos rastros
                               E os acordes da canção.

                                Estribilho:
                               
                                Em todas as nações amigas
                                Sua presença é exaltação;
                                E as mesmas mercês antigas
                                São recebidas com emoção.
                               
                                Estribilho:

 HINO AO CORRM
                              (Cormhino)

                           Música: Do Maestro Ronaldo Esteves Cammarota
                                 Letra: De José Augusto de Oliveira

Reserva somos - glória! - da Marinha,  (
A quem o CORRM abriga com fervor  (
Esta esperança que na paz caminha      (Bis
E vai buscando a perfeição do amor.    (

Marinha nossa, sempre tão querida,     (
Fazer-te, vimos, esta saudação.             (Bis

Tu és o Sol que nos aquece a vida,        (
Tens o calor de nossa gratidão.              (Bis

No CORRM sempre se bendiz seu nome,
Ao seu Patrono faz-se exaltação
E o nosso clã em preces se consome
A professar-lhe eterna devoção.
                               
                                   * * * * *

Homenagem dos autores e da Academia Neolatina e Americana de
Artes ao Clube de Oficiais da Reserva  e  Reformados da Marinha.

HINO DA ACADEMIA DE CIÊNCIAS E LETRAS
DE MARICÁ

                           Música  de: Ayrton Perlingeiro
                                      Letra de: José Augusto de Oliveira
                                  Arranjo do: Prof. José Ricardo Agura
                          
                                  I
Salve vinte e seis de abril,
             Data da nossa fundação...
                E no universo literário
             De sua luz vê-se o clarão.

                    Estribilho:

             Devotados imortais
             Formando um só coração
             Representam um o quadro vivo
             Do amor e da exaltação.
             Conquista audaz do ideal
             Aquecido com o calor do afã,
             Labor sagrado cuja vitória
             Será a nossa glória no amanhã.

                                  II

             Seu nome já respeitado
             Pelo mérito do saber,
             Lega às gerações futuras
O exemplo do dever.
            
                    Estribilho:...

 HINO À AVIAÇÃO NAVAL                                       

Música  de: *Ronaldo Esteves Cammarota

 L e t r a  de: José Augusto de Oliveira


                                          Glórias se elevem aos céus da Pátria
                                          Nas asas da Aviação Naval...
E da Marinha o augusto nome,
Na ressurreição triunfal.

       Estribilho:

                                          Eis um pugilo de azes
Sempre prontos a voar
Pela glória da Marinha,
Nos céus... além do mar,
Buscando a paz
Com o mesmo afã
Pela grandeza do Brasil,
Hoje e amanhã.

Águias de fraternal destino,
- Vigor da Aviação Naval,
                                          A gloriar Alexandrino
                                        E as asas do seu ideal.

Estribilho:

Honra aos heróis do passado
Que, à Pátria, com a própria vida,
Deixaram vivo o legado
Da lição: "Missão cumprida"!!!

       Estribilho:

(*Ronaldo Esteves Cammarota – ex-maestro da Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal é  também co-autor do Hino do Clube  de Oficiais da Reserva e Reformados da Marinha – CORRM, com o mesmo letrista)


HINO À FORÇA NAVAL DO NORDESTE
                       
    Música  de:   Djalma Tinoco  (SG-FN)
    L e t r a  de: José Augusto de Oliveira    

A fé marinheira preserva a memória
Da imortal FORÇA NAVAL DO NORDESTE
Que hoje a Marinha consagra na história
Em belo estandarte de glória inconteste.
A Força Naval sempre ao dever devotada,
Desfralda a flâmula de missão já cumprida;
Por outras Marinhas fora então exaltada...
E sua gente, que dera mais - deu a vida.

Glorificando os seus heróis imolados,
Da Marinha o culto de mor gratidão...
E seus mortos no mar sepultados
Ficarão para sempre no seu panteão.
Glórias à FORÇA NAVAL DO NORDESTE
Que deu à Marinha mais consagração;
Entre os brasões o estandarte celeste
Se fez chama ardente da recordação.

(Homenagem do autor à gloriosa Força Naval do Nordeste)

Pensamentos


PENSAMENTOS DE JOSÉ AUGUSTO DE OLIVEIRA


  1. Velhice: Árvore que produziu os frutos da juventude com as sementes da infância.
  2. Velhice: Passado e presente... e futuro já  em evidência.  Juventude: o passado e o presente, sem a certeza do futuro. Infância: o presente, ainda sem passado, mas já em busca da juventude.
  3. Não há velhice sem as marcas do passado e do presente, assim como não há juventude sem as fantasias da infância.
  4. O privilégio da velhice é viver o seu futuro no presente e revivendo o passado.
  5. A velhice é o templo que preserva o altar da juventude, onde se encontra o sacrário da infância.
  6. Infância e Juventude: estágios de aprendizagem da vida.  Velhice: conclusão do saber.
  7. Infância: Vergel da vida.  Juventude: Ilha das Fantasias.  Velhice: O Paraíso.
  8. O estágio de vida mais cruciante é o da juventude: Saudosa da infância e já atemorizada com a velhice.
  9. Quem não cumpriu as tarefas próprias da infância terá a sua juventude tormentosa e sem preparo para envelhecer.
  10. Futuro é o tempo que a velhice  dele nada mais espera;  mas a juventude nele pensa.
  11. O presente é o passado da velhice, que há muito esqueceu a infância e já vivendo seu futuro
  12. Velhice é o pesado tributo .que se paga pelos erros da juventude.
  13. Se a velhice é o fim da existência, a infância se constitui o princípio do futuro fim.
  14. A infância é a semente, a juventude o fruto e a velhice a árvore no pomar da vida.
  15. O privilégio de ter experimentado todos os estágios da vida é exclusivo da velhice.
  16. A herança honrosa que se deixa para a juventude é a velhice, pois ninguém por ela questiona.
  17. O amanhecer é a fase áurea da infância; o entardecer, a ânsia ilusória da juventude; e o anoitecer, a tranqüilidade da velhice.
  18. Como seria insípida a vida se a juventude, e não a velhice, fosse a fase terminante da existência!
  19. A infância é temporária, a juventude provisória e a velhice definitiva.
  20. A inatividade só representa castigo para os que não souberam aproveitar o tempo da atividade com coisas úteis.
  21. A mais justa gratidão para com os inativos é a demonstração de respeito pela sua existência também como cidadão.
  22. Os que já estão na inatividade pelo dever cumprido, preservaram o lugar que hoje você ocupa, mas sem a certeza de também merecer o mesmo privilégio.
  23. A inatividade é a mais elevada condecoração que o servidor conquista pelos seus serviços prestados à Pátria ou à a sociedade.
  24. Se você discrimina o inativo, talvez já tenha a certeza de não conquistar esta situação privilegiada.
  25. Se você que discrimina o inativo, se já estivesse na inatividade, gostaria de ser tratado com indiferença?
  26. O respeito aos que estão na inatividade não é apenas demonstração de delicadeza, mas a obrigação de reconhecimento a quem já cumpriu com o seu dever.
  27. Somente os inadaptáveis penitentes se sentem  superiores, quando, apenas, desempenham as funções que lhes são atribuídas.
  28. Gostaria você de ficar em atividade indefinidamente, sem perspectiva de merecer o necessário descanso da velhice?
  29. A inatividade é tão importante que o servidor sujeita-se a trabalhar pelo menos trinta anos para merecê-la.
  30. Seu despeito com o inativo é simplesmente porque é ele - e não você -- que já desfruta desse privilégio.
  31. Inativo não é o desocupado, como alguns costumam se pronunciar.  É o cidadão que tem disponibilidades de tempo para fazer preces até pelos seus irreverentes semelhantes.
  32. O inconformado:... Infelizmente ainda estou na ativa.  O felizardo: Graças a DEUS estou na inatividade porque já cumpri com o meu dever.
  33. Se todos se dedicassem a seu trabalho por amor e não por obrigação, talvez com igual amor sentissem a obrigação de fraternidade.
  34. Quando quiser ter a certeza de que muito dos seus amigos são capazes de desconhecere  suas virtudes, concorra com eles aos mesmos cargos eletivos.
  35. Na determinação da indiferença se envereda a prática do esquecimento.
  36. As iniqüidadess que tanto afligem a sociedade são praticadas pela própria sociedade.
  37. Há homens desprovidos de cabelos que, em compensação, têm significativas qualidades.  Todavia em muitos outros faltam-lhes tudo, principalmente educação e cortesia.
  38. Não se deixa de existir por que se morre; mas deixa-se de viver quando não se ama, porque o amor é a razão da própria vida.
  39. Se soubéssemos o quanto é perversa a ingratidão, jamais a praticaríamos.
  40. A vingança é próprio de quem não sabe esquecer ou mesmo perdoar.
  41. Se a mulher tivesse a exata noção de que a simpatia é mais sedutora que a beleza, seria simpática mesmo sendo bela.
  42. Se o indivíduo não refrear seus impulsos, tornar-se-á uma fera em potencial.
  43. Dentre os animais, o homem é o mais irracional.
  44. Quando as pessoas se vulgarizam, assemelham-se aos párias.
  45. Sua falsa timidez pode ser o disfarce de seu orgulho.
  46. As pessoas ingratas sequer merecem desprezo, só  para não serem lembradas.
  47. As mulheres que, simulando timidez, disfarçam o seu orgulho, são mais hipócritas que as verdadeiramente orgulhosas
  48. A simples indiferença de quem amamos, magoa tanto quanto a ingratidão.
  49. O verso da medalha do amor, tanto pode ser a simples indiferença como o ódio.
  50. Mãe, tantas são as tuas virtudes, tão sublimes são os teus exemplos de heroísmo, e tão divina é a tua missão na Terra, que te assemelhas à Virgem, que é Santa, e também foi mãe.
  51. A máscara do orgulho faz nascer no rosto mais cedo as gelhas.
  52. Quem mercadeja o corpo, ao vício hipoteca a alma.
  53. O amor é o sentimento mais nobre que a humanidade pode praticar.
  54. O indivíduo que se deixa escravizar pelos vícios, ainda em vida se amortalha.
  55. Quanto mais aprendemos, mais necessidade temos de saber.
  56. O poder da mente, que é a força do pensamento, a DEUS  se assemelha.
  57. Quando o infortúnio nos atinge, buscamos a recuperação; mas quando a desonra nos alcança a desgraça é fatal.
  58. Qualquer que seja a duração de nossa existência na Terra, é apenas o estágio preparatório para a vida eterna.
  59. Quanto mais me fixo no pedestal da humildade, mais me fortalece o ânimo de perdoar a tua ingratidão.
  60. Por maior que seja a distância em anos luz, a força do pensamento atinge-a em fração de segundo. Portanto, o pensamento é a expressão verdadeira da existência de DEUS.
  61. Os melhores anos de sua vida, um dia resumir-se-ão na eternidade de um momento quando você  num simples sorriso, despir-se das vestes de sua ingratidão .
  62. Se amanhã, no auge da solidão, não tiveres a palavra amiga que te console, lembra-te que sempre foste indiferente aos que te suplicavam mesmo que migalhas.
  63. O Sol, mesmo sendo uma estrela de quinta grandeza, irradia mais calor e luz por estar mais perto de nós.
  64. A sua antipatia talvez resulte de marcas invisíveis das cicatrizes de sua alma atormentada.
  65. Enquanto vivermos, sempre teremos tarefas a executar e algo a ser agradecido, principalmente a DEUS.

  66. Por mais modesto que lhe pareça o seu trabalho, execute-o com altivez e satisfação, pois dele a sociedade se beneficia.
  67. As pessoas sem personalidade se valem do prestígio dos outros para conseguirem favores.
  68. A alma se compunge  quando, mesmo involuntariamente,  magoa alguém.
  69. Há indivíduos que se comprazem em ferir ou humilhar os menos favorecidos da sorte.
  70. Das muitas ilusões que acalentamos, uma talvez seja a razão de nossa própria vida.
  71. No embaçado espelho do atempo a máscara da beleza é sempre enganosa.
  72. Para as injustiças pode haver reparação;  mas para a ingratidão não há mediação.
  73. Esmola são migalhas que são postas em mãos vazias quando estendidas à caridade.
  74. O amor que se fragmenta deixa de ser um todo para ser migalhas.
  75. É preferível  saciar-se  a fome com migalhas colhidas no chão, que fartar-se em banquetes de abutres.
  76. Você pode não se sentir feliz, mas se tem a capacidade de fazer a felicidade de alguém, considere completa a sua felicidade.
  77. O sorriso de uma criança tem poder de consolar até a mágoa da ingratidão.
  78. No embaçado espelho do tempo se afigura a imagem  enganosa da juventude.
  79. Há pessoas sem nenhuma cultura que são mais educadas que as instruídas,  talvez porque educação não se recebe na escola, mas no seio da família.
  80. O remorso nem sempre é suficiente para pagar o preço do perdão.
  81. A morte não consulta a vida se pode exterminá-la;  mas a vida está sempre preocupada com a morte.
  82. Se você julga se destacar para ser notada, simplesmente se isola para ser ignorada.
  83. É preferível não se ter amigos que tê-los sem as qualidades essenciais.
  84. As pessoas honradas, via de regra e disfarçadamente, são abominadas pelos desonestos e os que não têm conduta irrepreensível...  Amém!
  85. É natural nas vísceras a existência de escória, que na sociedade é assemelhada pelos párias.
  86. Se não tiveres os pés no chão, não será altiva a tua reflexão.
  87. Na seara do pensamento a colheita de farta reflexões para o celeiro da imaginação.
  88. Mais humilhante que a necessidade de suplicar esmola é a prática vergonhosa de exigir propina.
  89. Mais temíveis que os abutres, que podem ser facilmente identificados, são os vermes, que às vezes são até imperceptíveis.
  90. Se tiveres segredos que exijam sigilo absoluto, somente os revele a seu melhor amigo: o silêncio.
  91. Nunca pense em maltratar meu coração, pois você será quem mais vai sofrer, se nele fiz a sua morada.
  92. Quanto mais fico conhecendo os meus semelhantes, mais se preocupo em não cometer injustiças nem ingratidões.
  93. Corruptos, fraudadores e traidores jamais deveriam ser integrados à sociedade honesta.

  94. A velhice dos jovens pode começar ainda na mocidade, enquanto a juventude da velhice começa a partir dos oitenta anos.
  95. Na frágil imaginação dos desonestos, seu condenável procedimento pode até lhes parecer esperteza, mas é tão somente a revelação de seu mau caráter.
  96. Quem cometer uma mentira inocente por amor, o castigo seja sempre o perdão.
  97. Poeta é o ser que mereceu de DEUS o privilégio de cometer mentiras piedosas  se para exaltar a pessoa amada.
  98. Se DEUS é o único poeta perfeito, os Seus imitadores são simplesmente produtores de versos. Todavia, a poetisa pode ser considerada a própria poesia.
  99. Os que leiloam sua honra por preço vil no pregão da iniqüidade, são os repugnantes vermes da sociedade.
  100. Para se esquecer a ingratidão, não há vingança mais “perversa” que o perdão.
  101. Quando tornamos públicos nossos pensamentos, sua repetição só se constitui plágio se omitido o autor.
  102. Para as mulheres volúveis ou vaidosas, a mentira inteligente pode lhes ser agradável e até mesmo convincente.
  103. A mulher muitas vezes pode ser a solução para o problema em que ela própria se constituiu.
  104. Se o espelho pudesse também refletir com a mesma nitidez a imagem interior do nosso corpo, as pessoas que se julgam importantes por sua beleza ou status, talvez deixassem de ser orgulhosas, se lembrassem que somos simples cloaca semovente.

  105. A expressão da palavra amor está tão vulgar que a simples amizade, se sincera, pode expressar a demonstração de ternura, lealdade e de todas as virtudes que o amor deixou de representar, desde que passou a ser confundido com sexo.
  106. A mulher que se vulgariza, principalmente no sexo, desnuda-se de suas vestes originais do amor para se cobrir com trapos.
  107. As pessoas que só se lembram de DEUS e dos amigos nas necessidades ou na aflição, são as mais dignas de compaixão.
  108. As pessoas de caráter duvidoso virtualmente revelam seu cinismo no disfarce da mentira, conseguindo enganar os incautos.
  109. Amanhã, quando o tempo exigir de sua consciência a prestação de contas de sua falsa aparência na mocidade, talvez sentir-se-á tão desprezível quanto o verme.
  110. Mesmo que se considere depreciativa a expressão da palavra palhaço, todavia, se não é a figura mais expressiva do circo, - ou talvez até a mais culta -, para a garotada é sempre a maior senão a mais significativa atração.
  111. As pessoas que tiveram nossa amizade, mas por suas mitomanias se tornaram indignas até de nossa compaixão, para não mais serem lembradas, sequer merecem desprezo.
  112. A simples indiferença de quem amamos com devoção, magoa tanto quanto a ingratidão.
  113. O poeta sem sua Musa, assemelha-se ao Universo sem seus astros.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário